sábado, 26 de abril de 2008

Positivismo?

"Se Machado de Assis existiu, nós não temos desculpas para não dar certo".

Ou algo assim, pois minha memória recente está cada vez pior e mais disperasa.

Entrevista no Jô de hoje, de uma imortal (Nélia Piñon, ex-presidente da Academia Brasileira de Letras) comentando o histórico de MA, mulato, epilético e gago, nascido em uma sociedade preconceituosa (fato social, sem "preconceito" para aquela atitude naquela época) e que esculpiu seu destino de forma autodidata e indubitavelmente vitoriosa.

UPDATE 17h

Resgatado o nome da animada entrevistada (por incrível que possa parecer) e a "frase correta", segundo sinopse da entrevista disponíves no site do
Progrâma do Jô.


"SE MACHADO DE ASSIS FOI POSSÍVEL, O BRASIL TEM QUE SER POSSÍVEL."

6 comentários:

Lorita disse...

Nem precisamos adentrar o mundo literário pra cosntatar isso caro colega implicante (o Den perguntou pq vc gosta de pegar no pé dele! rs), só pararmos pra notar os malabarismos que deficientes físicos fazem pra sobreviver dignamente nesse mundo de "pessoas perfeitas".

Bjm

Mariah disse...

esse ano tem homenagem a Machado na FLIP.
m.

poetriz disse...

Ah, aqueles olhos de ressaca...

Di disse...

Ele não devia se concentrar muito no que ele não tinha, colocava a energia dele nas coisas boas que ele podia fazer. Acho que é isso.

Helena Nascimento. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helena Nascimento. disse...

Nossa, é verdade. O país que teve Machado de Assis pode chegar aonde quiser!

Dz, tava olhando os comments lá do blog, e vc tá sempre por lá! Mesmo com o blog paradinho, paradinho...
Obrigada.
;)