domingo, 4 de abril de 2010

Carta

Sei que esta carta não será lida por você. Acho até melhor, pois contém opiniões pessoais, sempre unilaterais, temporais, estáticas, falsas.

Relutei em escrever pois, de tanto que seu comportamento me incomoda, deve refletir o meu próprio; e nossas próprias feridas são sempre mais dolorosas.

Se eu estivesse magoado e quisesse feri-la, a chamaria de mimada, egoísta, inconstante, fechada. Mas isso é um juízo de valores e analisa uma faceta de seu comportamento, sem considerar sua história, o que realmente sente ou suas justificativas. Não conheço estes aspectos justamente por você ser fechada demais, nunca conversar, no máximo contar.

No passado, eu simplesmente acreditava e "comprava as brigas", me irritava com quem te atacava. Isso só me fez "apanhar" de ambos os lados, pois não falas de forma literal. Seu ódio e ações são específicos e momentaneos. Pelo menos quero acreditar nisso, pois a alternativa é simplesmente a falsidade.

Lamento ter tocado em algum assunto delicado, mas não posso aceitar tal reação sem, no mínimo, uma leve explicação. Já ocorreu no passado, e não pretendo deixar que aconteça novamente. Você diz que sente muito, mas não sei se sabe realmente o que fez e o que faz. Eu sinto, e opto hoje por deixar assim.

Adeus.


* esta carta junta fragmentos de uma história passada; é uma resposta a um meme atrasado da Lyani, um registro, um texto, letras soltas até. Originalmente pretendia fazer de um relacionamento mais antigo, mas não soube o que escrever, ou não tive coragem de remoer.

Andava relapso, sem comentar (sei o quão importante é), sem responder memes e selos, mas tenho a ti, e seus blogs, na mais alta conta possível. Inclusive recomendo a todos que, por ventura, aqui passem.

Não há inocentes. Apenas diferentes graus de responsabilidade

(Stieg Larsson - "A menina que brincava com fogo")

4 comentários:

Lyani disse...

Ah Dz!
Obrigada por ter respondido, por ter feito a carta-Adeus do meme, e espero que não tenha trazido lembranças ou sentimentos pesados e tristes!
Quanto as desculpas finais, totalmente desnecessárias já que eu também ando relapsa demais! E só posso dizer que é recíproto pois também tenho a ti, e seu blog, na mais alta conta :)
Saudades...
Bjos,
Ly

poetriz disse...

Eu me pergunto por que ninguém escreve carta de "boas vindas"...

Uma das coisas boas de remexer em histórias passadas é que vemos que adquirimos mais experiência e maturidade.
E mais, conseguir remexer nelas é sinal que as coisas já cicatrizaram.

Bjs!

PS: E bota atrasado nesse meme hein? rsrsrs...

Vanessa disse...

Também concordo que escrevemos poucas cartas de boas vindas.
Como também acho que cultivamos mais os sentimentos ruins, talvez por serem feridas, que só saram se não tirarmos a casquinha.
O negócio é cada um respeitar a dor outro, superar as suas e não causar dor em ninguém.

E ai todo mundo vive feliz para sempre!!!!

:)

landika disse...

viajei... só acho que um elefante incomoda muita gente! >D