domingo, 10 de junho de 2007

Crise Existencial

Vendo alguns questionamentos passados (e do passado) de uma amiga para sua vida, me perguntei se para a minha, eu teria tais respostas:

  • quem eu era

  • eu acho que sei quem sou; na maioria das vezes reconheco minha imagem num espelho ou em fotos; na maioria das vezes vejo e entendo minhas reações; "ser" é só isso?

  • o que queria

  • isso já acho muito mais difícil; não cresci fazendo planos para muito longe; sei que caminhos sigo e suas possibilidades, mas não sei se desejo algo realmente.

  • com quem queria

  • sem perpectivas nesse caso; utopicamente alguma garota bonita, legal, inteligente, companheira, em fim todos aqueles itens de ficha ou de revista.

  • o que fazer

  • trabalhar! Nada alem.

  • com quem fazer

  • amigos; acho que sempre fui carente de ambientes acolhedores, de confiança; acho mais importanto o "com quem" do que o "onde" ou "o que".

  • se mudava de cidade

  • embora eu goste muito daqui, onde nasci, cresci e vivo até hoje, o que realmente eu queria é não estar aqui. Nãosei se poderia viver em uma cidade muito menor, muito menos em uma muito maior.

  • se mudava de emprego

  • gosto de onde estou, fora a falta de abrangência nacional.

  • se continuava empurrando um relacionamento

  • não fui eu quem decidiu essa questão.


É, creio que por hora só posso pensar em amenidades mesmo. Não tenho tendencia a procurar os problemas ou reclamar da calmaria, porque eles chegam e acabam ciclicamente, respectivamente.

2 comentários:

Flavia disse...

As vezes eu faço esses questionamentos também... mas aguarde, pq está chegando minha fase de crise existencial e vc verá tudo o que eu acho a respeito da minha vida...

Lyani disse...

"Não tenho tendencia a procurar os problemas"

Só isso já é muito bom!!!

Bjos