terça-feira, 11 de agosto de 2009

Infleunza A (H1N1), o que sei, o que sugiro e o que não paro de repetir

Temos uma epidemia de gripe? Sim!

Todo mundo vai morrer disso? Não!

Eu vou morrer disso? Dificilmente.

Vou resumir: o vírus influenza A (H1N1) não mostrou-se mais agressivo que os anteriores, sendo sua diferença afetar adultos jovens (20-40 anos) em maior número.

Em 98% dos casos a evolução é tranquila, complicando nos outros 2% com pneumonia viral (entre outras alterações). Destes que complicam, alguns (18%) poderão morrer, sendo a maioria com alguma doença anterior ou fator de risco aumentado (doenças renais, do coração, imunodeficiências, gravidez).

Os sintomas importantes são a febre mais alta com tosse, mas dor de garganta, mal estar e outros sintomas podem aparecer. Na dúvida, orientamos avaliação médica. Mas lembrem-se: tosse e espirro pode ser por alergia, sujeira, resfriado e muitas outras doenças, então não segregue!

Não há qualquer indício de subnotificação ou acobertamento da gravidade da epidemia pelas autoridades sanitárias. Os e-mails fatalistas já foram desmentidos pelos hospitais.

Se pega o vírus principalmente pelas secreções respiratórias dos doentes via aérea e direta (espirro); em menor escala pelo contato das mãos com estas e levando-as à boca, nariz ou olhos.

Portanto, lave frequentemente as mãos, e evite leva-las aos olhos, nariz e boca! Adicionalmente mantenha os ambientes ventilados. E até a primavera!

4 comentários:

Anna Flávia disse...

Com sorte a gente passa longe dela! E até!
:P

Beijo

Vanessa disse...

Gostei dos porquinhos...
Vanessa

ocasodoacaso disse...

Sei que todos esses alertas são realmente importantes mas esse assunto tá enchendo.

Cautela e ponto final!

«Line» disse...

Eu tenho medinho, pq moro em lugar turistico, cheio de turistas vindo não sei de onde! heheheehehe

bjm